• Brittany Kwan

Oftalmologia encontra medicina fitoterápica

Cenouras fazem bem para os olhos? Quão eficazes são as cenouras para melhorar a visão? Cientistas tem avaliado diversas plantas como potenciais tratamentos para doenças oculares, apesar da eterna controvérsia questionando se “o Mito da Cenoura” é verdadeiro.



Muitos fatores podem resultar em visão reduzida, como degeneração macular ou mesmo diabetes. “Quase um bilhão de pessoas têm algum distúrbio de visão evitável ou que ainda não foi identificado”, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Visão reduzida produz consideráveis efeitos na vida das pessoas, afetando atividades físicas, acessibilidade a serviços públicos e comunicação interpessoal.


Conforme afirmado pelo Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia Shree Dev Bhoomi, “a fitoterapia é a forma mais antiga de assistência médica conhecida pelos homens”. Este campo tem influência significativa em terapias médicas alternativas envolvendo medicamentos fitoterápicos como naturopatia e medicina ortomolecular. Diversas plantas têm baixa toxicidade e não apresentam efeitos colaterais, fatores que as tornam uma das matérias-primas mais comuns na produção de medicamentos controlados, sendo quase um quarto deles derivados de plantas.


Vários pesquisadores aproveitaram as propriedades das plantas para inovar o antigo ramo da fitoterapia na área oftalmológica. Por exemplo, um estudo publicado no Journal of Natural Remedies sugere que o gengibre pode reduzir a pressão intraocular (PIO) em coelhos. A PIO se refere à pressão do fluido interno dos olhos e é um fator importante ao se avaliar o risco de um paciente desenvolver glaucoma. Com base nos resultados, o estudo concluiu que o gengibre pode ser benéfico no controle do glaucoma em humanos.

Outro exemplo é de Adebukunola O. Adefule-Ositelu, professor de oftalmologia no Hospital Universitário de Lagos (LUTH), que desenvolveu colírios contendo cola amarga, uma planta tropical comumente cultivada na África Central e Ocidental, usada para prevenir a cegueira em pacientes com glaucoma. O professor e sua equipe observaram um grande progresso com o colírio e relataram que estão obtendo sucesso no tratamento de pacientes com glaucoma.


Além disso, dois outros estudos publicados na Archives of Ophthalmology contribuíram para a diminuição da Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI). A DMRI é uma das principais causas de cegueira e é causada pelo desenvolvimento anormal de vasos sanguíneos nos olhos, a chamada retinopatia. Liderada por Jennifer S. L. Tan, a equipe conduziu uma investigação sobre ácidos graxos dietéticos e seu impacto na DMRI, concluindo que “o consumo regular de peixe, nozes, azeite de oliva e outros alimentos contendo ácidos graxos ômega-3 e evitar as gorduras trans pode reduzir significativamente o risco de DMRI”.


Mesmo para pessoas sem qualquer deficiência visual, existem inúmeros outros estudos que recomendam diferentes alimentos e nutrientes a serem incluidos na alimentacao para garantir uma visão saudável! Alimentos como alho, abóbora e amêndoas contêm vitaminas C e E, que contém antioxidantes que reduzem a progressão e o desenvolvimento de catarata.



Fontes:

https://guardian.ng/features/health/more-plants-validated-for-treating-glaucoma-cataracts-conjunctivitis/

https://jamanetwork.com/journals/jamaophthalmology/fullarticle/423128?resultClick=1


0 visualização0 comentário